Poesia e contrações, outra vez

A cidade de Roma

Vejam quantas contrações da preposiçao em com os artigos definidos o e a (no e na). E há duas contrações  da preposição de, que já conhecem. Onde é que estão?

Na cidade de Roma há uma rua,na rua há uma casa,na casa há uma porta,na porta há uma escada,na (Read more…)

Continuar leyendo Poesia e contrações, outra vez

"– Quantos rins nós temos?"

No curso de Medicina, o professor dirige-se ao aluno e pergunta:

– Quantos rins nós temos?

– Quatro! – responde o aluno.

– Quatro? – replica o professor, arrogante, daqueles que sentem prazer em tripudiar sobre os erros dos alunos. – Traga um feixe de capim, pois temos um asno na sala –

Continuar leyendo "– Quantos rins nós temos?"

Graus de parentesco

(Fonte: Infotheka do 1º ciclo)

Continuar leyendo Graus de parentesco

Regras (Nelson Martins)

O homem a quem parece que aconteceu não sei quê (Gato Fedorento)

Como podem comprovar, ele fala e fala, mas diz o quê? Ele é Ricardo Araujo Pereira, dos Gato Fedorento.

Para aprender a tocar "Trem das onze"

Para quem toca viola (violão, no Brasil) esta bonita composição de Adoniran Barbosa, Trem das onze.

"Un bel naso" (Alberto Giacometti)

Uma escultura do artista italiano Alberto Giacometti. Não sei qual o título, mas podia ser “Um bel naso” (um belo nariz, em português), não acham. E desta maneira recordamos a todos aqueles que se esquecem disso: a palavra nariz é masculina em português: Ela tem um nariz pequenino. Tu tens um nariz muito

Continuar leyendo "Un bel naso" (Alberto Giacometti)

Palavras de Almada Negreiros para a nossa Escola

Hoje é o nosso dia, “el Día del Centro”, o do IES “M. Domingo Cáceres”. Hoje não há aulas e temos muitas atividades a que assistir e muitas coisas para partilhar. E ainda por cima, estamos a festejar nesta semana os 25 anos de existência da nossa Escola. Eis uma citação do artista e

Continuar leyendo Palavras de Almada Negreiros para a nossa Escola

Florbela Espanca para o Dia Mundial da Poesia

Hoje, dia 21 de março, é o Dia Mundial da Poesia. Esta moça brasileira, Edla Lemos, recita para nós um poema da poetisa portuguesa Florbela Espanca, que, por acaso, nasceu perto da nossa cidade, em Vila-Viçosa.

AMAR!

Eu quero amar, amar perdidamente!Amar só por amar: Aqui… além…Mais Este e Aquele, o Outro e toda

Continuar leyendo Florbela Espanca para o Dia Mundial da Poesia

Cecília Meireles para o Dia Mundial da Poesia

Hoje, dia 21 de março, celebra-se o Dia Mundial da Poesia. Nós vamos ler, e ouvir, dito pela Ana Lice, este poema da brasileira Cecília Meireles. Espero que gostem.

MOTIVO

Eu canto porque o instante existee a minha vida está completa.Não sou alegre nem sou triste:sou poeta.Irmão das coisas fugidias,não sinto gozo nem tormento.Atravesso

Continuar leyendo Cecília Meireles para o Dia Mundial da Poesia

Página 1 de 36012345...102030...Última »